Tariana texts and cultural context(Languages of the World/Texts 07) +DICIONÁRIO TARIANA-PORTUGUÊS e PORTUGUÊS – TARIANA(ANTROPOLOGIAVol. 17)

tariana texts and cultural contextlanguages of the worldtexts 07 dicion193rio tariana-portugu202s e portugu202s - tariana antropologia vol 17?

Tariana texts and cultural context(Languages of the World/Texts 07) +DICIONÁRIO TARIANA-PORTUGUÊS e PORTUGUÊS – TARIANA(ANTROPOLOGIA
Vol. 17)

Author: Alexandra Y. Aikhenvald
Publisher: LINCOM EUROPA/MUSEU PARAENSE EMÍLIO GOELDI
Publication date: 1999+2001
ISBN: 9783895860782/ISSN 0522-7291
Number of pages: 180+389
Language:English/Tariana/Portuguese
Format / Quality: PDF/excellent
Size: 2,41MB

Tariana texts and cultural context(Languages of the World/Texts 07)

Tariana is an endangered North Arawak language now spoken by about a hundred people in the region of the river Vaupes, North-West Amazonia, Brazil. Though about 1.500 people of the region identify as ‘ethnic’ Tariana, the language was virtually lost one or two generations ago.

Tariana is the only Arawak language spoken in the multilingual context of the Vaupes linguistic area, and it has suffered a heavy areal impact from Tucanoan languages. Typologically, it is a predominantly head-marking language with a few elements of dependent marking. It has several types of classifiers, and two genders, extensive verb serialization; complicated systems of tense, aspect, mood and evidentiality; and it combines elements of morphological ergativity and accusativity depending on discourse structure. The present collection contains twenty texts in Tariana with translation and interlinear glosses, and a vocabulary. These texts, collected by the author during three fieldtrips to the North-West Amazonia, are particularly important for studying the origins of Tarianas, their migration from the I�ana river to the multilingual region of the Vaupes, and their identity as a people.
________________________________________________________
DICIONÁRIO TARIANA-PORTUGUÊS e PORTUGUÊS – TARIANA (ANTROPOLOGIA Vol. 17)

A língua Tariana é uma língua indígena ameaçada de extinção que pertence à família lingüística Aruak. O resgate e a documentação da língua Tariana é de suma importância como parte de tentativa de reverter a tendência à diminuição do número de falantes e de garantir a sua sobrevivência.

Tariana é falada como primeira língua (língua paterna) por cerca de 100 pessoas (nenhuma delas são crianças) em dois principais povoados no rio Uaupés, a área do Alto Rio Negro, Amazonas, Brasil: Santa Rosa (antigos nomes: Jukira-Ponta, Tariana Iwi-taku ‘ponta do sal’) e Periquitos (Keekeepani ‘cachoeira do pardal’, também conhecida como Tupyai-numana ‘a boca de lagarto’). Há também alguns falantes de Tariana em Iauaretê e Ji-Ponta – veja-se figura 1. A população Tariana, falantes apenas da língua Tukano, de aproximadamente 1500 pessoas, ocupa também comunidades do médio Uaupés e do rio Papurí.

A língua Tariana é falada na área lingüística da bacia do rio Uaupés, numa situação lingüística de multilingüismo forçado pouco comum, ditado pelos princípios de exogamia lingüística. Tariana é a única língua Aruák3 falada na região do Uaupés; as outras línguas pertencem ao subgrupo do Tukano Oriental. Há uma forte inibição contra mistura de línguas (‘languagemixing’) vista em termos de empréstimos lexicais.

Tariana combina traços gramaticais herdados do proto-Aruák com aqueles desenvolvidos sob a influência areal do Tukano Oriental, ao lado de inovações e fenômenos independentes de atrição lingüística (para análises dos padrões de difusão geográfica em Tariana veja-se Aikhenvald (1996 e 1999a-b).

Esse Dicionário basea-se no dialeto de Santa Rosa. Os dialetos Tariana de Santa Rosa e do Periquitos são mutualmente intelligiveis (veja Aikhenvald 1999b; no prelo, para uma análise dos dialetos da língua Tariana), porém manifestam algumas diferenças lexicais e gramaticais devidas a uma certa simplificação fonológica característica do dialeto de Santa Rosa.

mirrorcreator
depositfiles
mirror

No Password


Leave a Comment

Translate »